É o Governo do Estado de Pernambuco, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude - SDSCJ, promovendo a qualificação de profissionais da área da Assistência Social, de forma sistemática, continuada, participativa e descentralizada, buscando ampliar o grau de eficácia e efetividade das ações de Assistência Social.

  1. Objetivo Geral

    Oportunizar aos gestores, trabalhadores e conselheiros da assistência Social o acesso à qualificação, aos conhecimentos, aos conteúdos atualizados, desenvolvendo habilidades e atitudes essenciais ao desempenho de suas atribuições legais, na perspectiva de contribuir para a efetividade da política de proteção social não contributiva.

  2. Objetivos Específicos

    Desenvolver com os participantes os conhecimentos necessários ao exercício de suas funções, de forma a contribuir para a efetividade da política de proteção social não contributiva e do controle social.

    Tornar os participantes capazes de refletirem crítica e sistematicamente sobre a adequação da atuação dos gestores, técnicos e conselheiros de assistência social aos princípios e parâmetros da política de proteção social não contributiva.

    Propiciar aos participantes a compreensão da importância e as possibilidades de articulação dos técnicos e conselheiros de assistência social com as demais instâncias e instrumentos das políticas públicas e de controle social.

    Promover espaços para realizar estudos e orientações para operacionalização dos sistemas, ampliar e monitorar os municípios no acesso, alimentação e atualização das informações constantes nos sistemas: SIGAS/PE, SUASWEB, SISPETI e SICONV.

    Garantir estratégias pedagógicas e instrumentos criativos e inovadores que favoreçam a prática, a reflexão crítica e a troca de experiências.

    Elaborar e operacionalizar capacitações a distância, disponibilizando todo apoio e suporte operacional.

  3. Abrangência

    184 municípios e o Distrito Estadual de Fernando de Noronha.

  4. Implementação da Proposta

    Princípios

    • Intersetorialidade na condução da formação.
    • Equidade na seleção dos participantes.
    • Gestão do Trabalho no âmbito do SUAS.
    • Ética na prestação dos serviços socioassistenciais.

    Diretrizes

    • Regionalizar a intervenção.
    • Construir coletivamente a proposta.
    • Pactuar compromissos para a implementação.
    • Transversalizar Conteúdos.
    • Vivenciar o protagonismo.
    • Desenvolver propostas que contemplem a diversidade.
    • Integrar e alimentar o sistema de informação e gestão.
    • Realizar planejamento coletivo das ações.